Equoterapia é referência na área da saúde

Equoterapia é um tratamento multidisciplinar que recorre ao contato com os cavalos para desenvolver aspectos biopsicossociais. Com abordagens que envolvem a área da saúde, equitação e educação, a terapia é recomendada para pessoa com deficiências físicas, especiais, crianças com problemas de socialização e adultos com depressão. 

Bruno é um menino autista de 5 anos de idade. Quando mais novo, tinha muita dificuldade em manter contato visual, falar com outra pessoa ou aceitar ser tocado, aspectos que fazem parte de uma parcela considerável de quem tem o transtorno. Os seus pais já tinham algum contato com cavalos e ouviram falar sobre a Equoterapia, ou também a Terapia Equina Relacional.

Terapia equina relacional com crianças autistas

Depois de conversar com o médico e especialistas da área, os pais de Bruno o colocaram para fazer o tratamento com cavalos. E os resultados foram surpreendentes. Desde as primeiras aulas, a criança demonstrou maior contato com o animal e transportou isso nas relações com outras pessoas, tolerando melhor o toque e já fazendo algum contato visual. 

Sua mãe conta que um dos momentos mais emocionantes foi quando ele se relacionou pela fala, solicitando uma visita aos cavalos: “Nós já estávamos felizes com o progresso dele, mas ouvir ele pedindo para ver os cavalos foi uma surpresa muito grande, porque nunca nada do gênero havia acontecido com ele”. 

Para entender esse processo, o blog da Selaria Dias explica o que é a Equoterapia, como ela funciona e em quais casos ela pode ser recomendada. Confira: 

Tratamento

O termo Equoterapia foi cunhado em 1989, com a criação da Associação Nacional de Equoterapia, e engloba toda prática que envolva o contato do ser humano com o cavalo em busca de melhores condições físicas ou psicológicas. As técnicas variam bastante, mas geralmente envolvem equitação e lições de cuidado aos animais. Por esse motivo, é considerado um tratamento interdisciplinar, onde os três pilares principais são: educação, saúde e equitação. 

As sessões podem ser feitas tanto em grupo - o que contribui no desenvolvimento biopsicossocial, quanto individualmente. Mas o planejamento é feito analisando cada caso, uma vez que os focos podem ser completamente diferentes. 

Casos indicados

A terapia com equinos é indicada para tratar inúmeros fatores, desde depressão, estresse, timidez, até quadros mais graves, como paralisia cerebral e retardo mental. Os que mais procuram são pais preocupados com traumas e transtornos dos seus filhos, como o exemplo dado no início deste texto, onde a criança tinha autismo.

Além disso, lesões neuromotoras, patologias ortopédicas e disfunções sensório-motoras também recorrem à terapia equestre para amenizar os quadros. 

Você já conhecia essa terapia? Compartilhe sua opinião conosco através dos comentários.

Se você gostou desse texto, confira também: De peão à cavaleiro.